COVID-19

Também no âmbito da pandemia a COVID-19 a STA, e a Medipreve apoiam os seus clientes.

O novo coronavírus, denominado SARS-CoV-2, é responsável pela doença Covid-19 e foi identificado pela primeira vez em janeiro de 2020 na China, na cidade de Wuhan.

Por ser agente de infeção respiratória, o coronavírus transmite-se mais frequentemente por aerossóis e gotículas de secreções respiratórias. A transmissão do vírus através de objetos e superfícies contaminadas pode ocorrer, mas de forma mais limitada, pois estes microrganismos são sensíveis à secura e humidade, não sendo viáveis no meio ambiente por longos períodos de tempo.

Como se diagnostica?
    1. Quadro clínico sugestivo de infeção respiratória aguda com pelo menos um dos seguintes sintomas:
    • Tosse de novo, ou agravamento do padrão habitual, ou associada a cefaleias ou mialgias, ou;
    • Febre (temperatura ≥ 38.0ºC) sem outra causa atribuível, ou;
    • Dispneia / dificuldade respiratória, sem outra causa atribuível.
    1. Anosnia ou ageusia ou disgeusia de início súbito

A STA, e a Medipreve apoiam a avaliação epidemiológica de situações de contacto.

Os testes laboratoriais para SARS-CoV-2 disponíveis, em Portugal segundo as recomendações da DGS, podem ser:

    1. Testes realizados através da análise de secreções nasais e orofaríngeas ou de outras secreções respiratórias com pesquisa de frações virais:
    • Testes Moleculares de Amplificação de Ácidos Nucleicos (TAAN),( incluem os Testes de PCR) e são os testes mais sensíveis e rigorosos na deteção do vírus;
    • Testes Rápidos de Antigénio (TRAg) São testes de com sensibilidade analítica igual ou superior a 90% e especificidade analítica igual ou superior a 97%, com resultados obtidos após 15-30minutos da sua realização Devem ser utilizados nos primeiros 5 dias (inclusive) de doença de modo a diminuir a probabilidade de obtenção de resultados falso negativos, Devem ser utilizados quando os testes de TAAN não estão disponíveis para o diagnóstico ou rastreio em tempo útil. (resposta em 24h).
    1. Testes realizados mediante análises de sangue:
    • Testes serológicos que avaliam a resposta imunológica do organismo infetado. Devem ser utilizados quando existe sintomas sugestivos de infeção e os resultados dos testes de deteção direta são negativos, quando se pretende confirmar se uma situação de sintomas sugestiva de infeção por Covid-19 corrida há algum tempo o foi realmente, ou para estudos epidemiológicos de populações. Podem ser realizados com colheita de amostra sanguínea por punção venosa e apoio de Laboratórios de análises clínicas ou testes rápidos com picada no dedo e resposta rápida em cerca de 15 minutos.

A STA, e a Medipreve realizam todos o tipo de testes, sob orientação médica e apoia o desenvolvimento de Programas de Prevenção com realização de análises periódicas para grupos de risco, visando a identificação precoce de casos de infeção, mesmo assintomáticos, e a sua disseminação.

  • Promover a adoção de medidas de higiene recomendadas pelos seus trabalhadores: afastamento interpessoal, higiene respiratória e utilização de máscara;
  • Disponibilizar álcool gel para higienização das mãos;
  • Promover a higienização reforçada dos espaços de trabalho, sobretudo de superfícies mais manuseadas;
  • Promover a realização de Avaliações de Riscos ou atualização das já realizadas face à situação de pandemia;
  • Formar e informar os seus trabalhadores;
  • Conceber e divulgar o seu Plano de Contingência.

A STA, e a Medipreve apoiam o desenvolvimento de Avaliações de Riscos do Trabalho adequadas à nova realidade que a pandemia condiciona, com apresentação de propostas de intervenção para seu controle.

Plano de Contingência

O Plano Contingência específico para responder a um cenário de infeção pelo novo Coronavírus SARS-CoV-2, é um documento da maior importância.
Dando cumprimento ao artigo 15º da Lei 102/2009, de 10 de Setembro e respetivas atualizações, os planos de continência têm o objetivo de estabelecer procedimentos e medidas destinadas a assegurar as condições de segurança e de saúde dos trabalhadores, numa ótica de prevenção e ainda garantir a operacionalidade e funcionalidade da empresa e definir os procedimentos a seguir no caso de serem identificados ou haver suspeita de infetados entre os trabalhadores da empresa, devendo ser elaborados tendo em conta as diretrizes disponibilizadas pela Direção Geral de Saúde (DGS), em www.dgs.pt.

O que deve incluir o Plano de Contingência(conforme Orientação 006/2020, de 26 de fevereiro da DGS):

  • Quais os efeitos que a infeção de trabalhador(es) por SARS-CoV-2 pode causar na empresa?
  • O que preparar para fazer face a um possível caso de infeção por SARS-CoV-2 de trabalhador(es)?
  • O que fazer numa situação em existe um trabalhador(es) suspeito(s) de infeção por SARS-CoV-2 na empresa?
  • Procedimentos específicos onde constem as medidas preventivas adotadas pela empresa.

A STA, e a Medipreve apoiam a conceção e desenvolvimento de Planos de Contingência.